amazon

amazon
amazon - clique na imagem

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Propaganda Enganosa II

Está circulando por várias redes sociais, um certo "milagre" em forma de cápsula pra eliminar gordura.
Não vou dizer o nome porque não quero fazer propaganda do que não conheço... Tem até foto de celebridade com o anuncio de que são magras porque fazem uso do produto.
Ora, bolas!!!
Se existisse um milagre em forma de cápsulas, não existiria no mundo pessoa fofa, gorda, obesa ou afins...
Primeiro dizem que a fórmula é milenar - se é tão antiga, porque nunca ficamos sabendo antes?
Depois o tal "perca 4, 5 kg em uma semana sem fazer dieta alimentar". Genteeeeeeeeeeee...
E fotos de muitos noticiários, inclusive Fantástico, Estado de São Paulo, Folha de São Paulo entre outros falando da fórmula. Não sei se é verdade pois não assisti a nenhum comentário na tv sobre o produto. Na verdade não assisto tanta tv aberta assim.
E claro, as fotos antes e depois. Todo mundo sabe como é... Gordinha de biquini e magrinha de biquini.
Confesso que fiquei com uma certa curiosidade. Mentira! Fiquei empolgada com a notícia e fui escafunchar...
Emocionantes os comentários... "Hoje sou uma nova mulher... Agora tenho o corpo dos meus sonhos... Não precisei deixar de comer nada... Isso foi um milagre em minha vida... etc" Obs. Todos os comentários são de um único dia...
Ah, também quero virar cabide. E ainda tem amostra grátis? Mas é pra já!
Cliquei no formulário, preenchi empolgada, pronto! Cliquei em finalizar cadastro. Aííííííí, meu filho, aparece uma outra janelinha pedindo número do cartão, validade, condições de pagamento... Mas não é amostra grátis?
Grátis que eu sei é de graça, sem custo nenhum, na faixa... Ou inventaram uma outra definição?
E num cantinho lá do anúncio tem em letras comuns: "A promoção pra amostra grátis finda em 2 dias à partir desta data". Quer dizer, de 2 em 2 dias renovam a promoção justamente pra pessoa ficar agoniada e "ligue djá!".
E claro, tem a política de aceitação do contrato. Dei um jeito de entar lá e ler tudo e um parágrafo está escrito: "Este produto não foi avaliado pela FDA dos EUA, nem passou pelos estudos rigorosos duplamente cegos exigidos antes que um determinado produto possa ser considerado verdadeiramente benéfico ou potencialmente perigoso, e receitado para o tratamento de qualquer condição ou doença."
E continuando o rolamento da página, lógico que ia estar escrito isso: "Junto com a amostra grátis segue o GUIA DE ALIMENTAÇÃO E UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS".
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK....
Meninas, meninos, arrumem um guia de alimentação equilibrada e um programa de exercícios e sigam à risca! Depois me contem quantos quilos conseguiram eliminar. Use esse dinheiro e pague um bom profissional nutricionista e um personal trainner. Toda dieta funciona. Toda dieta te faz emagrecer. O que pega é o depois da dieta terminada. Se você toma medicamentos ou o escambal, vai engordar de novo porque não aprendeu a comer certo. Não se acostumou com a alimentação equilibrada.
Não existe milagre, cuide de sua saúde, de sua alimentação, se exercite e boa! Não caia em conversa fiada de gente que quer o seu dinheiro à todo custo, te engrupindo. Quanto vale o seu dinheiro? E sua saúde? Coloque uma meta em sua vida, tenha um estímulo, se ame e viva bem... ou cabide, ou gostosa, ou fofinha, ou gordinha... mas viva bem e se valorize.
Pronto... sem mais nada a declarar!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mãe?

Deus do céu! O que está acontecendo com as mães? Surtaram todas?
Mais um bebê jogado no lixo, mais um morto, mais um recém-nascido abandonado...
Gente, que mundo é esse? Onde estão as mães dessas mães?
Isso é o final dos tempos.
Quem é mãe sabe do milagre da vida. Da sensação indescritível de ver a carinha do bebê todo sujinho pela primeira vez... o choro - da mãe e do filho...
Temos a impressão que o mundo se apaga e ficamos só os dois, ou três, ou quantos forem... ali frente a frente... o cheiro, o primeiro toque, o primeiro beijo... Sensação única e poderosa.
Como uma mãe tem coragem de ignorar isso eu não entendo. Nem vou julgar. Mas me dói a alma saber de uma notícia dessa todos os dias. Onde vamos parar?
Tantas mulheres se desdobrando, gastando os tubos só pra um dia poder parir e outras parindo indiscriminadamente sem controle. E jogam fora como se fosse um monte de lixo hospitalar. ValhameDeus!
Que Deus tenha misericórdia dessas mulheres.
Me lembro quando tive minha filha. Primeiro na gravidez todos te paparicam, depois o bebê nasce e esquecem de você (em termos) e só enxergam o bebê (normal).
Quando cheguei em casa com aquele embrulhinho pequenininho, a coloquei no berço e a única coisa que passava em minha cabeça era: "E agora? Faço o quê?"
Tive ajuda de mãe, de cunhada, de sogra... Mas o grosso da história é só mãe e filho.
E Deus em sua sabedoria nos aguça a intuição de saber o que fazer na hora. É impressionante. Mesmo no caso de uma febre, uma diarréia, sempre sabemos o que fazer.
Não é fácil cuidar de criança. Quando é mais de uma então... nem se fala!
Mas até hoje ainda existem mulheres com 8, 10, 12 partos? Gostam mesmo da "coisa" e esquecem as consequências. Fazem um filho atrás do outro e como muitas dizem: "Deus cria, Deus toma conta".
Santa paciência... Que mundo é esse? Falta de amor? De Deus? De compaixão? De humanidade? De vergonha na cara? Falta do que fazer? Falta de estudo? De apoio? De uma bela surra? De informação?
Que as infinitas pessoas na fila de espera pra adotar uma criança consigam logo, e tirem dessas "pseudo-mães" aquele embrulhinho cheiroso e bochechudo pra ser amado e respeitado.
E mais uma vez que Deus tenha misericórdia dessas mulheres!
Amém.

Quando vejo uma notícia dessa sempre me vem à mente aquele bebê jogado na lagoa da Pampulha em BH.
Eu choro toda vez que vejo esse vídeo.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Arrastando corrente

Jogaram um papel em meu quintal dizendo o seguinte...

"Oração à Nossa Senhora Aparecida.
Quem encontrar esta corrente milagrosa de Nossa Senhora Aparecida, deverá fazer 4 cópias diárias durante 60 dias. Ou seja, dois meses. Tudo o que você quiser conseguirá. Não Rasgue. Não Guarde."

E continua com ameaças:
"Se você parar a corrente, terá problemas financeiros..."
"O dono de uma padaria perdeu o filho porque deixou a corrente parar..."
"Você perderá todos os seus bens..."

Gente, será que é assim que Nossa Senhora faz lá em cima?
- Alá, aquele lá não passou a corrente pra frente... Vou tirar o carro dele...
- Mate o filho daquele outro lá, não acreditou na corrente...
- Aquele que ganhou na mega sena, tire tudo dele, semana passada ele não passou a corrente...

Será mesmo que um simples papel, jogado no seu quintal tem tanto poder assim?
Coitada de Nossa Senhora...


terça-feira, 26 de abril de 2011

Cadê meu príncipe?

Agora até sexta-feira não tem outro assunto que não seja o casamento real.
Somente 2 bilhões de pessoas vão assistir... Menos eu. O que me interessaria um casamento real? Ok, vou dar uma olhadinha no vestido da moça, no lindinho do príncipe e na matriarca Rainha Elizabeth (que parece que quer ficar pra semente). Mas parar pra acompanhar não! Tenho mais o que fazer.
Me lembro vagamente do casamento de Lady Di com o sapo Charles... que continuou sapo, coitado. E que depois de viúvo, se casou com Camila, que agora mesmo se olhando no espelho se sente a Sra.Príncipe Charles. Coitada, mas feliz com seu amado, seu príncipe.
Se ela pode ter um príncipe, por que eu não posso?
Mas quem disse que eu quero? Acho que eu prefiro um sapo mesmo... Homem bonito, sedutor e ainda por cima príncipe chama muito a atenção. Muito assédio, muita curiosidade... Eu fico com o sapo que vire príncipe em 4 paredes, pronto!
Mas com uma condição: eu na minha casa e ele na dele. Não quero mais cuidar de homem... E trabalho de casa sempre sobra pra mulher... Eu não tenho mais paciência nenhuma de começar de novo, pedir ajuda, dividir tarefas, discutir relação, morrer de ciúmes, chorar de raiva, aguentar indiferença nos tempos de tpm, etc...
Já disse isso num outro post: clique aqui .
Posso até ter um sapo, mas eu fico só com a parte boa: sem cobranças, sem crises, sem pegar no pé, sem querer me mudar e eu idem, sem eu ter que abrir mão de vida individual e ele idem.
Imagine só casar com um príncipe de verdade? Deusolivre!!!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Solitário

Edmara passara mal à noite com fortes dores no baixo ventre.Como tinha um bom plano de saúde marcou consulta com Ginecologista no mesmo dia.
Tomou um analgésico e foi de táxi. Chegou com uma hora de antecedência para ser atendida mais rápido. Já haviam muitas mulheres esperando e Edmara sentou-se perto da janela pra respirar ar puro. Olhou em volta toda a decoração e um objeto lhe chamou a atenção: um vaso solitário com uma rosa amarela verdadeira.
Não era amarela só amarela, era amarela com um alaranjado perto do cabinho, onde se prendia as pétalas. Bem aberta e seu cheiro exalava por toda a sala de espera.
Imediatamente se lembrou de uma ocasião em que ganhara um ramalhete de rosas amarelas com alaranjado, como esta sob a mesa de canto, de mogno, toda vermelha envernizada, ornada com uma toalha branca de crochê.
Tinha na ocasião 18 anos e quem lhe presenteou foi seu pai. Era seu aniversário e era uma das poucas vezes que seu pai lhe demonstrava um certo carinho. A vida inteira sempre foi seco, duro, áspero e distante. Estava sempre ali, mas distante.
Na verdade foi uma surpresa preparada pelo seu namorado da época, o Alberto. Quando soube da surpresa logo imaginou que não se tratava da iniciativa de pai e mãe. Na hora soube que era de Alberto. Tudo bem, vamos ver a reação deles tendo que cantar o parabéns.
Sua mãe tinha preparado bolo, alguns docinhos, salgados e refrigerante. Alguns parentes próximos, a família de Alberto e alguns amigos.
Foi uma noite ótima, muito riso, muita dança, muita diversão. Mas o som alto incomodava a mãe que vez ou outra olhava de lado com a cara amarrada. Sempre olhava no relógio pra ver se não estava muito tarde pro som alto. Mas Edmara nem se deu conta. Estava feliz pela surpresa.
E o buquê permaneceu ali, no centro da mesa, intacto, dentro de um jarro de vidro. Perfumou toda a casa, e todos, quando entravam pela sala era o primeiro objeto que viam. Pareciam rosas iluminadas.
Estava assim: Edmara e seus amigos no quintal cantando e dançando e os parentes e os pais e sogros na sala assistindo tv.
No adiantado da hora, por iniciativa de sua mãe, cantaram o parabéns e Edmara soprou a vela. O primeiro pedaço foi pro seu pai - que claro, jamais esperaria por isso. Pegou, fitou Edmara e com lágrimas nos olhos, lhe abraçou e em soluços agradeceu pelo bolo.
Edmara agora já com um pé na fase adulta, conseguia entender o pai. A sua criação foi assim mesmo, sem carinho, sem atenção, sem conversa... E foi isso que passou para os filhos. Tinha medo de que se amolecesse não lhe dariam o respeito.
Daí em diante Edmara pensava que quem sabe com esse choro, ele possa ainda em vida, ver que apesar de tudo, ela o amava e o respeitava.
- Sra.Edmara dos Santos Barbosa, pode entrar, por favor.

domingo, 24 de abril de 2011

Feliz Páscoa!


Joyeuses Pâques

Schöne Ostern

Felices Pascuas

Buona Pasqua

Happy Easter

Kalo Paska

Fovai Hwo Gie Quai Le

Gelukkig Paasfest

Eid-Foss'h Mubarak




Jesus venceu a morte!
Vença todos os obstáculos que cruzam o seu caminho... Ele te ajuda... Vença, simples assim!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Luto



Hoje é dia de ficar quieto, de fazer jejum, abster-se de carne e de todo o tipo de prazer.
E é claro, assistir na tv o filme sobre a morte e ressurreição de Cristo.
Eu recomendo Paixão de Cristo de Mel Gibson que não consegui assistir. Forte demais, chorei muito...
Fonte: leia aqui

Pesquisei na wiki: clique aqui  -  pra saber como calcular a sexta-feira Santa e Páscoa:

"A ressurreição aconteceu no domingo seguinte ao dia 14 de Nisã, no calendário hebraico. A mesma tradição refere ser esse o 3o. dia desde a morte. Assim, contando a partir de domingo, e sabendo que o costume judaico, tal como o romano, contava o 1o. e o último dia, chega-se à 6a. feira como dia de morte de Cristo.
A 6a. feira Santa é um feriado móvel que serve de referência para outras datas. É calculado como sendo a primeira 6a. após a 1a. lua cheia após o equinócio (aconteceu dia 21/03) de outono no hemisfério sul ou o equinócio de primavera no hemisfério norte, podendo ocorrer entre 20 de março e 23 de abril.
A igreja católica convida os fiéis à prática de jejum e da abstinência da carne e qualquer tipo de ato que se refira a prazer, em respeito a morte de Cristo. Não custa né?


Infelizmente o comércio toma conta da data e não perde tempo. Dá-lhe bacalhau... Carésimo... Não é pro meu bico!
E dá-lhe ovos de páscoa no domingo... Carésimo também... Mas tenho filhos e fazer o quê?
Lembrando do sofrimento de Maria e de Cristo que suou sangue no monte das Oliveiras, por instantes nos conformamos com nossas dores que não chegam nem na sombra do ocorrido com Cristo.
Quantas vezes poupamos quem amamos, omitimos, mentimos, desviamos o assunto só pra não ver sofrer quem amamos? O choro e o sofrimento do outro nos incomoda muito e não sabemos lidar com isso. Poupamos os bebês de chorar, as crianças de chorar, os filhos de sofrer, o adulto da dor e do sofrimento. Mas sofrer é necessário na vida. Não dura pra sempre, tem a paz depois, a alegria... ou dura pra sempre e nos arranca um pedaço do coração, quando perdemos quem amamos.
Necessário sofrer pra enxergar o mundo de uma outra forma, pra largarmos de ser teimosos e olhar em volta, abrir outra porta, ir por outro caminho, desbravar outro mundo, respirar outros ares, conhecer e dar valor quem merece ser valorizado.
O choro lava a alma... dói... mas é um mal necessário. Lubrifica os olhos e até podemos nos sentir amados, acariciados, mimados por quem se compadece de nós.
Como dizem: "Todo mundo carrega a cruz que aguenta carregar, nem mais, nem menos".
Deus é sábio e nunca nos desampara. É pai e nos ama tanto a ponto de negar algumas coisas que pedimos, pois Ele sabe o que é melhor pra gente. Basta chama-Lo e Ele nos estende as mãos. É só enxergar nas entrelinhas da vida.
Que este dia Santo seja pra reflexão da vida, da morte, da paz, do amor, do respeito, do que realmente vale a pena.
E não vão se empanturrar de chocolate no domingo... Controlem-se!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Eu rezo, você paga...

Acabei de ler 'O Pagador de Promessas'  de Dias Gomes, muito tarde por sinal - deveria ter lido antes. E uma coisa me instigou.
Zé do Burro fez uma promessa pra Santa Bárbara pra que curasse seu burro. O burro foi curado. Então tinha que levar uma cruz igual a de Jesus até o altar da igreja da Santa. Foi ele e a mulher Rosa - mulher tipo Amélia que acompanha o marido em tudo, até nas maluquices, andaram quilômetros e quilômetros até encontrarem a igreja. Mas não foi tão fácil assim: o padre não permitiu que Zé do Burro entrasse com a cruz até o altar. No desenrolar da história o coitado do Zé do Burro acabou morrendo com um tiro. Ponto Final.
Mas o que me intriga mesmo são as promessas feitas pelas pessoas.
Já visitei a cidade de Aparecida do Norte e é de impressionar o número de pessoas que lá vão pagar promessas. Eu fui uma dessas pessoas.
Não dá pra discutir a fé.
Mas conheço e sei de história de gente tão folgada, mas tão folgada... Fazem a promessa pra própria pessoa pagar.
É assim: eu tenho um problema e preciso solucionar. Uma pessoa bem próxima a mim vê meu desespero e faz a promessa... E se for atendida quem paga sou eu!
Quer dizer: eu sofro, martirizo, descabelo, desespero e ainda tenho que pagar por isso?
Tem alguma coisa errada nisso.
- Olha, Conceição, agora que você tá melhorzinha, eu fiz uma promessa pra você... Tem que dar 7 voltas ao redor da igreja de Nossa Senhora no último dia da quaresma... E cantando 'Ave, ave, ave, ave Maria...'
- Oi? Como é?
Imagine fazer uma promessa pra pessoa ter que andar ajoelhada por todo aquela ponte de Aparecida do Norte?
Já vi isso também.
E tem aquele medo:
- Ele fez a promessa, então tenho que pagar! Vai que a santa se revolta e me põe na cama de novo...
Imagine a Santa lá do lugar dela olhando aqui pra baixo:
- Alá, aquele lá não cumpriu a promessa feita pelo padrinho dele... Tinha de caminhar de joelhos até o altar... Não foi, então volta pra cama!
Como já disse, a fé não se discute... Mas senso tem limite!


outro desenho meu

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Liquidação

Benhê, me ajuda aquiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!


Mais um dia de andanças pela cidade, e como curiosa comecei a olhar placas de lojas.
Até onde o anúncio de lojas é verdadeiro?
"Tudo com 30% de desconto em 6 vezes."
"Cobre qualquer oferta, qualquer uma."
"O menor preço da cidade"
"Aqui os Genéricos são os mais baratos."
"Compre um jogo de sofá e ganhe uma poltrona."
"Seja um cliente preferencial e tenha privilégios."
"Liquidação bombástica, é pegar e levar produtos do mostruário."
Quantas vezes nos deparamos com anúncios assim? Todos os dias, de todos os lugares.
Mas até que ponto isso é verdadeiro?
Então vamos lá:
- Qualquer compra que você fizer parcelado já está embutido o juros. Nem a loja e nem a financeira vão perder dinheiro.
- Pra cobrir qualquer oferta o lojista coloca em um produto exclusivo da loja, ou seja, ninguém mais tem, só ele. Aí fica fácil, porque certamente não vai cobrir nada. A não ser em caso de marcas de eletrodomésticos com marcas famosas. Aí ele iguala o preço da outra loja, ou cobre uns R$10,00. Isso compensa?
- Se você vai a um supermercado e tem a cartela de ofertas, você compra as ofertas, mas o restante do supermercado está um pouco mais caro pra compensar o barato. E me digam: Quem é que compra batata em um, carne em outro, óleo em outro, ovos num outro, etc. Sendo que cada supermercado fica um bem longe do outro? Difícil isso. Gastar combustível, sapato, circular? Vale a pena? Vá com sua lista e compre só o da lista. Alguém resiste à lista?
- Levar produtos de mostruário, tem vantagens mas nem tanto. E se o produto tiver defeito? Até você reclamar, brigar com a loja, esperar, esperar, esperar pelo produto novo. Vale a pena?
- Lembram quando o governo abaixou o preço, reduzir IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos eletros linha branca? O que choveu de gente pra comprar... Mas fui pesquisar - sim, porque pobre gosta de ver preço, pesquisar, calcular e não comprar. Um produto que custaria R$1.200,00 passou a custar por exemplo R$1.099,00. Que diferença é essa? R$101,00? Isso dividido em 12 dá nada. E choveu gente comprando o que não podia só por míseros R$101,00.
Eu sei, pra quem ganha pouco (eu ganho pouco), R$101,00 é muito. Mas se criou um fuzuê danado por um desconto tão pequeno?
E aquelas mega liquidações de até 70%? Gente ficando 2, 3 dias dormindo na fila. Já entraram pra ver o desconto de 70%?
- Panelas de pressão, ferro de passar roupa, faqueiro, jogo de panelas, etc. Muito bom esse desconto, aliás ótimo. Mas o que interessa à população mais pobre o desconto sempre é mínimo e duvidoso.
Não sei se estou falando bobagem, mas não consigo acreditar muito em propagandas de mega liquidação.
O povo precisa, o povo vai, o povo compra. Que ótimo. Mas engrupir um povo que não sabe fazer conta com a calculadora é de doer.
Todos economistas sempre falam: "Juntem o dinheiro e comprem à vista" Mas quem consegue juntar dinheiro ganhando o mínimo? Ninguém.
E comprar carro zero parcelado em 60 meses? Já fizeram as contas? Então façam, primeiro pra saber quantos anos são 60 meses e depois esse tal do juros de 1,99% a.m. São 1,99% a.m. durante 60 meses. Façam as contas.
Mas eu sei que é muito bom comprar... Eu sou mulher e também gosto... Mas com a minha calculadora na bolsa sempre. Meu dinheiro, apesar de pouco, me vale muito.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Quando o cristal quebra...

Não tem jeito! Não tem conserto, não tem salvação... se não tem perdão.
Dias desses reencontrei um amiga de infância que não via há uns 20 anos. Nossa, como o tempo passa e não nos damos conta. Casada, 3 filhos, muito bem financeiramente e, infeliz!
Me lembro que a última vez que tive notícias dela estava pra se separar do marido que pulou a cerca e fez um filho em outra mulher. Na época não tive oportunidade de conversar com ela, mas fiquei triste porque sabia que se amavam.
Mas depois de tantos anos, como já a conhecia, perguntei como estava.
Na época, disse ela, foi difícil, muito difícil (claro que foi), mas como os filhos dela eram pequenos não fez nada do que deveria fazer. Mas o que deveria fazer? Separar?
É, o normal seria separar e cada um pro seu lado...
Mas nem sempre é assim. Não cabe a ninguém julgar. O máximo que uma pessoa decente pode fazer é ouvir, chorar junto, lamentar e oferecer ajuda, caso precise.
Continuam casados, os filhos já grandes e dois já casados com filhos, e ela e provavelmente ele também infelizes.
Ela até deve ter se esforçado pra perdoar, e minha opinião é que deve perdoar mesmo, mas vai ficar sempre a imagem da traição, do fruto da traição que não tem nada a ver com isso, e as cobranças... até que a morte os separe.
Eu disse que tem que perdoar mesmo porque não é bom ficar remoendo mágoas... Perdoe e esqueça (de coração) o assunto. Mas não quer dizer que tenha que continuar vivendo com a pessoa. Só não fique alimentando raiva, ódio, vingança. Quem sofre é você e não o outro.
Não é fácil assumir uma separação com filhos pequenos. "Tem que ser muito macho", foi o que eu ouvi de muitas pessoas. Mas como já disse, cada caso é um caso e eu tenho o péssimo hábito de ser sincera demais, de não saber mentir e nem ficar engolindo o que eu não quero. Eu não saberia viver numa situação dessas.
De todo jeito é difícil. A vida é difícil. E filhos tem que ficar de fora da briga. Eles não tem nada a ver com isso.
Ela não se separou e é infeliz, o marido ídem. Mas tem os filhos com todo o conforto, a presença do pai dentro de casa... Mas que também percebem a indiferença dos pais como casal. E isso fica marcado como um carimbo. Como transmitir amor se não é feliz no dia a dia? Não sei.
E eu muito topetuda, que nunca fugi de situação nenhuma, enfrentei uma separação com filhos pequenos. Resultado? Anos e anos de depressão e síndrome do pânico (está melhorando, quase boa). Mas meus filhos nunca mais presenciaram uma briga, uma discussão, um choro meu, um grito nem nada. Paz!
Imagino o casal acima: ele se apaixona por outra mas não pode ter uma vida em comum por causa do tal "acordo". Então fica às escondidas com outras.
E ela a mesma coisa, por que não refazer a vida com outra pessoa e ser feliz, que creio eu, é o que todos queremos?
Mas julgar não é a minha finalidade.
Se resolveram assim... Como eu resolvi do meu jeito... Cada um sabe de sua vida.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Bobeirinhas

Segunda passada eu falei de dieta e hoje eu mato saudades...

Sabem por que sou do time das "cheinhas"?
Porque na minha infância eu me empanturrava dessas bobeirinhas aí.
Saudade de todas elas! Mas hoje as prefiro longe de meus olhos...






Zorro, guarda chuva de chocolate, quadradinhos, balas





  O salgadinho da época - era só fritar







Essas balas eram duras e enormes - a mãe sempre ficava com medo da gente engolir



Canudinhos de doce de leite








Chiclete quadradinhos, pequenininhos, docinhos








Chiclete em tablet morango azedinho - chique










 Cigarrinho de chocolate - não existe mais por motivos óbvios









 Doce de abóbora









Doce de leite - tinha que morder a beiradinha pra chupar








 Jujuba









Suco de pobre - puro corante e adoçante artificial










Maria mole







 Moedinha de chocolate









Chiclete cor de rosa chiclete









Pizza caseira - essa eu sei fazer








Suspiro... ahhhhhhh






Eu sei que não foram essas bobeirinhas que me fizeram "fofa".
É que eu tenho a tal da célula gorda... Quando comemos ela incha... Se fazemos dieta ela murcha, e fica esperando a gente extrapolar nos doces pra inchar de novo... É o efeito sanfona.
Eu adoro doces, mas me controlo por questão de saúde e por questão de peso também.
Sabe aquelas pessoas magrinhas que comem de um tudo e não engordam?
QUE ÓDEOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!

domingo, 17 de abril de 2011

O gordo e o magro

Stan Laurel ( 1890-1965)
Oliver Hardy ( 1892-1957)
Ficaram famosos como dupla nas décadas de 1920/1930 e fizeram juntos 106 filmes.

Fonte: clique aqui

Quem não teve a oportunidade de conhecer, vá já pro Youtube e procure. Veja todos!

Tipo de humor eterno, simples, ingênuo, delicioso...
Na minha infância e até hoje quando assisto dou boas gargalhadas. Se bem que não sirvo muito de base não... Falou que é comédia já começo a rir antes de começar o filme. A ingenuidade deles é fantástica - o que falta pra muitos humoristas dos tempos atuais. Mas essa concepção gordo e magro faz sucesso. Veja o caso de Leandro Hassum e Marcius Mellen, fantásticos também.




E pra exibir meus dons artísticos, um desenho que fiz em 1985 com a técnica carvão.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

10 x 9,90

Aí ninguém resiste mesmo!  Olha o preço... 99,00 dividido em 10 vezes sem juros? Ahhhh eu também quero!
Quero nada... Tô falando do celular... Não tenho... Não tenho porque trabalho em casa, tenho o fixo e onde eu iria usar o celular? Por enquanto não me faz falta. Existem de todos os preços, eu sei.
Mas acredito nas pesquisas que dizem que existem mais celulares do que pessoas no planeta.
Ontem eu estava primeiro num escritório de advocacia e depois numa fila de banco. Todos, exatamente todos menos eu com o celular. Confesso que me senti um pouco excluída, mas...
E olhe que não tem idade, nem tamanho, nem cor, nem sexo... Todos com os aparelhinhos ali... Uns no bolso, outros na bolsa... outros na mão pra exibir...
E os toques... Alguém pode me explicar que toques exóticos são esses? De onde tiram isso?
Eu ouvi: toque de telefone fixo, musiquinha sem nota definida, rebolation, rock, criança chorando, criança chamando mããããe...
Alguns com o toque muito alto, pra mostrar mesmo que tem um celular. Geralmente esses altos são aquelas senhorinhas bem humildes, baixinhas, de cabelo branco amarrado num coque, chinelo havaiana, uma bolsa bem de camelô e o celular toca...
Tem gente que tem mania de atender o celular e sair andando...
Primeiro, quando é mulher, escafuncha na bolsa procurando o tal, depois custa a achar o botão pra atender - porque fica tocando hoooooooras aquela musiquinha horrenda, depois, do nada, sai andando sem rumo pra atender. Por que o pessoal de lá pode ouvir a conversa e os daqui não pode?
E tem aquelas pessoas que fazem conferência. Atendem ali mesmo e falam tão alto pra que todos ouçam que ela está conversando com sabe Deus quem. "Vejam, eu tenho um celular!"
As mocinhas com aqueles cheios de mequetrefes, coloridos, geralmente andam em dupla ou em bando, todas iguaisinhas, todas com celular, todas mascando chiclete, todas de cabelo escorrido, calça justa, tênis... todas. Atendem o bendito, olha pra outra e cai na risada, escondida, claro, da pessoa do outro lado da linha. Ou então, com o fone no ouvido.
Tem os que odeiam... ele toca e pronto (geralmente os homens), cai o mau humor, xingam, desligam na cara, olham e não atendem, fazem um gesto de jogá-lo longe...
E esses (que eu não entendo) que tem o aparelho pra ficar desligado... Ô saco, por que tem então se não quer atender ou deixa desligado?
Mas bendito seja, existem os mais discretos... Apenas pegam o aparelho, cochicham e desligam. Ou então, pegam o aparelho apertam umas duas teclas e guardam de novo.
E quando - fila é um lugar comum - encontram um conhecido na fila que não vê há muito tempo... Conversam uns 3 minutos (mulheres, é claro), e já catam o celular pra mostrar fotos... "Nossa, como cresceu!"
Ontem vi de um tudo de tecnologia celular... Mas ainda não tenho necessidade de ter um. Mas não descarto a possibilidade. Só fico pensando em qual exemplo eu vou ser (sem querer), quando for atender o meu celular...
Aloooooooooooooooooo....



P.S. Será que alguém confessaria que ligou pra um daqueles números que a gente adquire por exemplo, piadas todos os dias, dicas de beleza, signos, fofocas, namoro, encontre a alma gêmea, palavras de fé... E aí?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Outono

É a estação mais linda do ano!
Muitos acham a primavera, por ser colorida, quente, alegre...
Outros o verão, sol brilhante, quente, praia, calor...
Mas o outono é lindo...
Apesar da pele ficar ressecada, o tempo seco, as folhas que caem, o verde não é tão verde assim, muito vento...
Os dias de céu azul sem nenhuma nuvem com aquela brisa um pouco mais forte, com aquelas roupas nem tão leves assim, nem pesadas demais... É o meio termo.
Se nos expomos ao sol, ele é quente mas não o suficiente pra se bronzear...
Se ficamos na sombra, fica um friozinho gostoso... Não que precise colocar casaco pesado.
E a noite com céu estrelado, limpo, brilhante, luminoso... E aquele friozinho gostoso pra dormir toda enrolada no cobertor, ou acompanhada abraçadinhos.
Época de gripes e resfriados, febres, viroses... Que sem pedir licença, voam com o vento e entram em qualquer organismo que atravessa o seu caminho.
Mas eu gosto.
Já viram o pôr-do-sol de outono?
Ele vai se pondo, vai escurecendo aos poucos... De um lado o azul quase escuro e do outro um vermelho iluminado, até que se ponha de vez e escureça. A lua reina soberana e atravessa o céu até se por também dando lugar ao luminoso Sol.
Ultimamente estou muito romântica, aliás sou romântica... Isso é péssimo! A gente acaba sendo romântica sozinha... Homem não entende essas coisas, acha bobeira. Pode ser bobeira mas gostamos de romance. Homem é um bicho muito estranho... Às vezes tenho a impressão que não entendem as coisas, ou se fazem de desentendidos. Pôxa vida, o que custa uns momentos de romantismo? Essas coisas acontece geralmente em 4 paredes, a dois, e ninguém precisa ficar sabendo. Heim, meninos?
Ok, vou me segurar mais... Mas queria falar do Outono. Pronto, falei! Passou!

Outono, olha o céu que lindo!!!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Menino mau!



Paulinho Vilhena Cospe na cara de Rafael Cortez do CQC...

Vamos combinar? Quem está errado?
De um lado um ator famoso, global, que parece ter tpm o mês inteiro e que se acha de vez em quando.
De outro Rafael Cortez, gato, sub-humorista, repórter de um programa até bom, mas que exagera de vez em quando.
Se fosse entrevistar uma pessoa comum, um corretor da bolsa de valores, por ex., ele responderia a pergunta como? Final de expediente, talvez mandasse o Rafael a PQP! Ok, dia cheio, cabeça quente, nervoso...
Mas como é um famoso... Talvez todos nós pensamos que por ser famoso tem que mostrar o piano pra todo mundo. Tá certo que não precisa ser tão antipático assim... Mas se não quer responder, não responda... Peça licença e saia pela esquerda.
Mas aí o drama: 'é famoso e antipático', esse rótulo ele carrega na cara.
De todo o jeito ia ser criticado, por responder com um baita de um mau humor ou por não responder de jeito nenhum.
Ele não me perguntou mas poderia dar uma desculpa com um sorriso, um já volto, agora não, depois... Ou então responder com uma outra pergunta bem cabeluda... De deixar o entrevistador vermelho e sem graça. Pronto!
E Rafael Cortez, por sua vez todo lindo está no seu trabalho, é sua  profissão fazer perguntas idiotas. Se não faz perde a vez e leva bronca e até rasguem o seu contrato. Se trabalha como tem que ser é um idiota, um imbecil, odiado por muitos que fogem dele e dos outros do programa como o diabo foge da cruz.
Eu gosto do CQC, assisto de vez em quando e acho que eles exageram...
São talentosos, pensam rápido sem dar tempo pra pessoa pensar na resposta ou não saber o que responder. Pule a pergunta, oras! Vá pra próxima se tiver...
Também acho que não existe pergunta indiscreta... Responde quem quer... As respostas é que podem ser indiscretas. Eles fazem a pergunta que querem, quem não quiser responder, não responda!
Mas não precisam ser tão antipáticos assim.
Cuspir na cara do outro é muita humilhação, pegou muiiiiiiito mal.
Paulinho Vilhena, viva com isso agora, ator!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Larga disso...



Assistindo a novela Ribeirão do Tempo na Record tem o casal Querêncio (Taumaturgo Ferreira) e Marisa (Daniella Galli).
Acabaram de se casar e parece que já vão separar. Tudo porque se impuseram a condição de viverem juntos, deixando de fazer algumas coisas.
Ela, dançarina de boate, ama o que faz, ele a conheceu assim e se apaixonou.
Ele, maluco, bebe feito um gambá, ela o conheceu assim e se apaixonou.
Mas como agora ele é prefeito ela teve que deixar o que mais ama, que é dançar pra viver com seu amor.
E ele na condição de prefeito e agora homem casado teve que manerar na bebida e nas loucuras pra viver com Marisa.
Mas é lógico que não dá certo. Vai acabar mesmo!
Se você conhece uma pessoa num determinado lugar, fazendo uma coisa que gosta, você se apaixona pelo que vê, então, pra que querer mudar a pessoa? Não funciona... Você acaba matando a relação.
A gente tem essa mania, querer mudar o outro. Pra quê, gente?
Pra segurar e se assegurar que a pessoa não vai lhe escapar? Bobagem...
Se você pegar um passarinho na mão e apertá-lo com medo dele fugir, na primeira oportunidade ele escapa e nunca mais volta.
Mas se você apenas apoiar o passarinho na mão e deixá-lo solto, ele terá a segurança de ficar o quanto quiser.
Quando nos unimos a uma pessoa, quando amamos o outro, queremos o melhor, torcemos por ela, somos parceiros. Deveria ser assim...
Mas às vezes o ciúme é tanto que sufoca e acaba estragando a relação.
Medo de traição? Bobagem... Se for pra pessoa te trair, isso acontece debaixo do seu nariz. Não sofra antecipado. 
Imagine você tendo uma vida a dois tranquila e feliz, mas descobre uma traição... Vai ter que tomar providências e acabar com tudo? Cada caso é um caso e é bom pensar bem, por você e não pelo que os outros vão falar de você. A vida é sua e ninguém a vive por você. E falar todo mundo fala. Não se preocupe com isso.
Ciúme é bom, mas não é prova de amor. É o medo de perder algo que não temos certeza se temos.
Antigamente até era assim, a mulher deixava tudo porque o marido a proibia de tudo. E os casamentos duravam anos e anos de pura infelicidade. Só uma parte podia e a outra morria.
Hoje os tempos são outros mas ainda existem essas pessoas sem noção, que sufocam, que matam um amor que poderia durar por anos.
Não sufoque, não prenda, não mate! Ninguém é de ninguém. Respeite e ame com liberdade e bom senso.
Sem falar daqueles psicopatas que não se conformam com fim de uma relação e acabam matando a pessoa... Mas isso é um outro assunto pra um outro dia.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Segunda é dia de dieta

Eu confesso que nos últimos 10 anos nem liguei pra boa forma. Também eu queria mais era sumir, ficar deitada, comer o que tivesse sem me importar, chorava muito... Então deu no que deu. A boa forma foi pras cucuias.
Mas tudo de ruim está passando e resolvi me cuidar. Não é fácil mas sou persistente, teimosa e determinada.
Como tudo na vida precisamos de um estímulo. E eu tenho esse estímulo que não conto de jeito nenhum.
Mas posso dizer que estou me cuidando pra ter uma qualidade de vida melhor e dar um jeito naqueles exames de rotina que fazemos todos os anos que deram todos alterados. Ok, vamos em frente.
De dietas já fiz todas. Mas é ruim seguir à risca uma dieta só. Já perceberam que tudo que não pode nos atrai mais ainda?
Não pode doce, não pode massa, não pode refri, não pode, não pode, não pode!
Daí você come aquele pratão de salada e na primeira garfada você imediatamente se lembra de uma bela pizza.
Não que eu seja comilona demais. Não. É que eu como muito errado, na hora errada e de forma errada.
Então comecei uma dieta por minha conta.
Café da manhã com café preto, pão sem miolo com manteiga.
Almoço: diminuí o arroz branco, a batata e outros tubérculos, e encho o prato de salada e uma colher de sopa de arroz e duas de feijão, um proteína magra. Mastigo bem devagar e bebo suco de limão (somente meio copo).
À tarde: ou um pão sem miolo com manteiga e café preto ou uma vitamina com leite e banana.
Jantar: uma ou duas frutas, e dependendo da fome um copo de leite.
Doce, posso até comer, mas não todos os dias e só a metade.
Água, muita água que bebo aos goles durante todo o dia. Nada de beber um copão de uma vez que isso faz você enjoar da água.
E só!
E não é que está funcionando? Não pesei e nem vou pesar. Como toda gordinha guardei umas roupas de quando era esbelta - nossa, que palavra estranha! - melhor dizer de quando era gostosa. O dia que a roupa entrar e ficar legal, tá bom.
E também estou fazendo caminhada 5 vezes por semana.
Tudo isso eu posso dizer que fiquei muito assustada com os exames que fiz... dá medo saber que você que é o homem da casa e tem filhos dependendo de você pode ficar doente e de cama. Não, isso eu não quero. Mas esse não foi o motivo principal que não vou contar, não adianta!
Já vi resultados, os exames já melhoraram um pouco e minha forma física também.
Não tenho prazo determinado. Quando acabar a dieta, acabou! Mas dessa vez não vou esculachar de novo.
Não vou desanimar nem desistir. Quero viver muito ainda e com saúde e com aquele estímulo também, claro!

domingo, 10 de abril de 2011

Por exemplo...

Parece mesmo que o Brasil está em alta para os megashows. Esse ano muitos brilharam e vão brilhar: Paul Macartney, Amy Whinehouse,  U2 e de volta o Rock In Rio.
Paparazzis de plantão e revistas de fofocas não dão sossego aos astros e passam noites, dias, sol, chuva ali escondidinhos à espera de uma fotinho, um lance, uma careta, seja o que for.
Depois o bombardeio:
- Mas ele bebeu muito...
- Ela até pagou peitinho no parapeito do hotel
- É velho, não canta mais nada, etc
E sempre a mesma conclusão:
- Onde já se viu, pagar pra ver um cara drogado, uma bêbada, que não servem de exemplo pra ninguém...
Mas como alguém em sã consciência pega uma pessoa que nem se conhece, e toma como exemplo pra sua vida?
Copiar roupas,  cabelos, comprar dvd, cd, decorar as músicas, tudo bem. Mas será que alguém pensa assim:
- Ah, mas ela bebeu até cair, vou beber também...
- Ele está velho, pega garotinhas então vou pegar também...
Gente, se vamos seguir um exemplo, que seja de alguém próximo a nós, como nossos pais, nossos tios, nossos avós. Estes sim nos dão o que precisamos que é o caráter, a dignidade, o respeito. Estes nós conhecemos a vida, e eles nos conhecem também. Agora os astros, os famosos, não conhecemos e nem sabem de nossa existência. Sabem sim dos números:
- 50 milhões de pessoas compraram o cd... um show lotado com 65 mil pessoas...
E mesmo se conseguirmos nos aproximar deles, para uma foto ou autógrafo, eles viram as costas e tchau.
Aliás eu gosto deles assim cheios de defeitos... São mais autênticos. Não tenho o menos saco de aguentar gente que tenta agradar todo mundo, os bonzinhos, que nunca tem opinião formada e que sequer soltam um peido somente pra se acharem perfeitos. 
Heloooooo, não convencem, queridos!!!
Esses que aparecem do nada e que do dia pra noite viram celebridades não me cativam. Tem sempre um batalhão de gente por trás que decidem até o que vão falar pros fãs e pros jornalistas. Desses eu não me interesso.
É isso, eu tenho os meus ídolos que não servem de exemplo pra nada, mas me dão muita alegria com suas músicas. E a vida particular deles não me diz respeito.

Rock in Rio 1985 - Inesquecível