quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Devassa - Um Conto Sensual

 
Roberta, louca para chegar em casa, encara um engarrafamento quilométrico num fim de tarde, começo da noite, buzinas, poluição, gritos, motos barulhentas e calor, muito calor.

Liga o rádio e ouve Dire Straits com aquele som de guitarra inconfundível. Começa a cantar tentando relaxar e esperar que a fila de carros ande de uma vez por todas.


Olha para o lado e o vidro do carro do lado abaixa. Um homem começa a olhá-la primeiro com óculos escuros, depois por cima dos óculos. Olhos negros penetrantes... Logo em seguida um sorriso, lindo!


 Roberta vê que ele aumenta o som de seu carro e que também ouve Dire Straits, uma outra canção. Ela desvia o olhar e se concentra em um ponto qualquer à sua frente. Mesmo assim é inevitável não sentir o olhar do homem lhe queimando o rosto. Não resiste e o olha de vez em quando... Ele sempre olhando e sorrindo, agora sem os óculos escuros.


Sua imaginação voa... E já se vê dentro daquele carro, do lado daquele homem desconhecido, com todo aquele calor lhe subindo pelo ventre. 


Roberta, para provocar, levanta o vestido até a altura das coxas e também uma perna, de propósito, só para que ele lhe veja. E ele vê! E faz um biquinho como se lhe mandasse um beijo e aperta um pouco os olhos, ficando com uma cara de safado.
 
Ainda se imaginando dentro daquele carro, ele então começa a correr sua mão em sua coxa... Se ajeita no banco, de forma que fique quase meio deitado, e de pernas entreabertas...


O trânsito anda uns 20 metros e Roberta aumenta o som do carro, agora uma outra música, e olha para o lado enquanto ele para no mesmo rumo do meu carro, de novo. Que bom!


Roberta fecha os olhos e sua imaginação continua, então ela se senta no colo daquele desconhecido, de frente, e começa a beijá-lo alucinadamente... Ele, com aquelas mãos enormes, abaixa seu vestido, acha seus seios e começa a beijá-los... Era como se ele voltasse à infância e estivesse faminto por alimento.


Beija-lhe a boca com paixão, desarruma seus cabelos, lhe pega pelo pescoço e percorre sua boca por todo o colo, os seios, volta para sua boca e lhe arranca o fôlego... Lhe aperta contra seu corpo deixando-a imóvel, puxa seus cabelos para trás e fixa os olhos nos dela... Olhos sedentos de desejo....


Alguém bate no vidro do carro. Roberta abre um pouco e vê um menino vendendo água. Água geladinha....


Olha para o lado e ele continua olhando-a, sorrindo e mexendo no volume do rádio.


Ela bebe a água e deixa escorrer um pouco sobre seu corpo. Ele vê isso e faz um gesto com a cabeça como se quisesse dizer: "não acredito!"


Ela fecha o vidro de novo e também os olhos e sonha acordada... Volta para o colo dele, que começa a gemer e a dizer coisas incompreensíveis;  lhe segura nos cabelos e beija seu pescoço, o suor escorrendo pelos seus seios... O mundo para! Só os dois ali, naquele sexo sem limites, naquela vontade de um entrar dentro do outro e nunca mais sair...

 
Uma buzinada atrás do carro de Roberta a faz ver que a fila andou mais uns metros. Ofegante. O desconhecido lhe olhando, lhe mostrando o celular, acenando e falando algo que ela não entendia. Apenas retribui com um sorriso. A fila anda mais um pouco e ele para bem à frente do carro dela. Roberta revira o porta-luvas e acha caneta e papel. Anota a placa. Ele fica olhando para trás procurando-a e acenando com a mão.


Roberta fecha os olhos e volta naquele lugar do pecado, dentro do carro daquele homem desconhecido, másculo e que a leva ao delírio... Continua o sexo, beija aquela boca, volta para seus seios, depois dá mordidinhas em sua orelha... E explode num urro de satisfação. Ela fica olhando aquele rosto tão próximo do dela, aquela boca quente, aquele hálito, aquele cheiro de sexo que se espalha; ela não resiste! Seu coração dispara... 


Ela dentro de seu carro e ele à frente lhe acenando e sorrindo, querendo dizer algo...A fila anda mais um pouco e ele some, entre os carros... Que pena!

Depois de um bom tempo, depois que todo aquele aglomerado de carros se acaba, ela o vê parado no acostamento, em pé fora do carro, lhe esperando passar. Acena com as mãos e ela não resiste e para mais à frente, sai do carro e vão de encontro um do outro. Eduardo, o nome do desconhecido.


No íntimo, Roberta sabia que suas fantasias não seriam só fantasias. Ela sabia que algo mais aconteceria. E aconteceu! Não dentro do carro, não naquela hora e nem naquele dia. Foram se conhecendo aos poucos, dia a dia até se entenderem e confirmarem uma fantasia que se viveu a dois, cada um com seus desejos e suas vontades. Duas fantasias que se uniram, agora olho no olho, pele na pele... Ui!


Queridos leitores, gostaria de informar que este texto está registrado na BN sob número 978-85-922781-0-6.
Por gentileza, não copiem sem minha autorização, certo?
Grata!

Este conto e mais alguns, todos sensuais, num livro.


Clique AQUI para comprar!

27 comentários:

  1. Minha linda, o seu conto é simplesmente MARAVILHOSO, eu amei e te digo que você é muito boa nisso. Confie mais em você porque você tem dado o show! Você é capaz porque você já é talentosa. Simples assim! ;)
    Beijo, beijo em seu coração!
    She

    ResponderExcluir
  2. Uau!!!Que lindo!E nada mais necessária que aquela aguinha gelada que o menino vendeu. Só ela pra apagar o fogo que nela ardia,rs Lindo e que final legal! Adorei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Estou rindo porque foi estranho agora... Eu fiquei entretido no conto e de repente quando desço a barra de rolagem, leio um BOSTA na lateral. ahahahaha.
    Foi mal, isto realmente convence a campanha da não verificação de palavras.
    Você sabe descrever bem o erotismo, eu também tenho alguns contos eróticos, embora não seja meu gênero literário (acho que nem tenho um definido, só não sou muito de literatura fantástica, gosto de trabalhar com a realidade e percebo o mesmo nos contos seus que já li) e sem pudores, consegue fazer com que sua escrita fique no erótico, sem cair na vulgaridade. Parabéns.
    O desfecho me decepcionou, ficou romântico demais, seria mais interessante se tudo tivesse rolado ali mesmo, os dois não mais se visto, sem sequer saber os nomes um do outro e, consequentemente, o conto teria se estendido...

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...


    ResponderExcluir
  4. Claraaaaaaaaaa......eu to falandoooooooooooo.....ma-ra-vi-lha!
    Giu

    ResponderExcluir
  5. Que babado ler isso logo de manha!
    Vou tomar uma agua com açucar pra acamar....

    Beijos, adorei

    ResponderExcluir
  6. Adorei! Linda história e muito sexy. Adoraria viver uma história assim... rsrsrs Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Olá Clara!

    Adorei o teu conto, gosto deste tipo de literatura. O erotismo, a sensualidade fazem parte das nossas vidas, não sendo relevante se é vivida como fantasia, sonho ou na realidade.
    Parabéns!
    Também escrevo contos, uns eróticos, outros não. Para os contos eróticos tenho outro blog, se quiseres conhecer fica aqui o link:

    http://redfeatherlovetales.blogspot.com

    Um beijo,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Gostei e concordo com o rapaz aí de cima. Tinha que acontecer ali mesmo.
    Meu segundo nome é PACIÊNCIA e o primeiro é SEM.

    Comigo seria ali....na hora...

    Beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
  9. Bem diferente do que costuma escrever, mas porque as palavras têm que ter limites? Gostei.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  10. Oi Clara
    Ótimo conto, muito erótico sem ser vulgar. Gostei muito.Prendeu o leitor do começo ao fim.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  11. Você escreve muito bem, sabe nos prender a atenção, e seu conto sensual tem um final feliz, e eu gosto de finais felizes, abraços Luconi

    ResponderExcluir
  12. Uau! Gostei demais. Principalmente do "final feliz".
    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. CONVITE: Rádio Internacional Jesus é o Caminho

    Visite nossa rádio acessando: http://radioiijc.com/

    Fico muito grato, se quiser adicioná-lo no seu blog, fique a vontade. Está autorizado.

    Abraços e fica com DEUS.

    ResponderExcluir
  14. A corrente elétrica que se fez sobrecarregou os fios da rua congestionada, pudera, brasa fervente custa a ser apagada.
    Detalhes bem aplicados, Clara.Amei!
    Bom fim de semana.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  15. Clara minha linda, adorei...
    Como disse a Lu... nos prendeu do início ao fim..
    Um conto sexy e nada vulgar, muito bem escrito e que fez nossa imaginação voar longe.. rsr
    Adorei!!
    Beijinhos e um fim de semana mais que lindo viu?

    ResponderExcluir
  16. Oi Clara, bacana o conto.
    Parabéns.
    Abraços e paz.

    ResponderExcluir
  17. Olá, Clara.
    Muito bem escrito seu conto, parabéns.
    Música do Dire Straits com solo de guitarra no início só pode ser Money for Nothing.
    Eu nunca escrevi contos eróticos antes, e acredito que não seja muito fácil fazer isso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  18. Menina!
    Aproveita a onda dos romances eróticos e escreve um livro!
    Vc tem talento!
    E nós, mulheres, gostamos mesmo é do final como vc escreveu, romântico.
    Que bom que não ficou só na imaginação dela.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra...

      Procurei um blog.. e mesmo no Google+ pra te agradecer, mas não consegui...
      Obrigada por sua gentileza...
      Vou pensar nesse livro... isso me agrada muito!

      Beijos

      Excluir
  19. OI Clara,
    ótimo conto,gosto do jeito como você escreve os contos,todos na medida exata!
    abraço,=)

    ResponderExcluir
  20. Gostei muito, e eu não sabia desse lado, parabéns, continue assim, muito legal.

    ResponderExcluir
  21. Especializado em fotografia e edição de Book Fotografico Sensual , feminino com tratamento estético fotográfico, ensaio www.booksensual.com.br , para modelos profissionais e mulheres normais.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns !!!!
    Por experiência própria, tirando o final feliz, te garanto que isso é mais real que muitos imaginam

    ResponderExcluir
  23. Pessoal estou começando um blog contando um pouco mais da transformação do meu casamento em um relacionamento aberto.
    Quem quiser ler mais visite:
    www.nossaliberdadeperigosa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!